Educação e tradição oral

Em 2007, o Centro de Cultura e Educação Lúdica da Rocinha foi um dos Pontos de Cultura incluídos na Ação Griô Nacional com o projeto pedagógico Rocinha ontem e hoje: Histórias Brincantes.

Desenvolvido em parceria CIEP Dr. Bento Rubião localizado na curva do S na Rocinha e tendo como a ludicidade como eixo, a griô aprendiz, Maria Marta Diniz da Silva realizou oficinas com mestres, crianças e professores propondo um grande caldeirão de histórias onde os tempos se entrelaçaram através do brincar.

No período entre 2007 e 2009, foram vários os mestres participantes. Para além das oficinas brincantes, as rodas de prosa foram também uma marca desse projeto. À sombra de um jambeiro no pátio da ASPA (Ação Social Padre Anchieta), na sala de referência do Centro de Cultura e Educação Lúdica da Rocinha ou nas residências dos mestres, as prosas avançavam pelas tardes da Rocinha entrelaçando lembranças, tradições, aprendizados, histórias locais e histórias de vida. Prosas Griôs foi o nome dado para esses encontros intergeracionais.

“A Ação Griô Nacional nasceu em 2006 como projeto criado e proposto pelo Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô, da Bahia, ao programa Cultura Viva da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura. A Ação Griô é uma rede que envolveu 130 projetos pedagógicos de diálogo entre a tradição oral e a educação formal, mais de 750 griôs e mestres bolsistas de tradição oral do Brasil, 600 escolas, universidades e outras entidades de educação e cultura e 100 mil estudantes de escolas públicas.”

http://www.acaogrio.org.br/acao-grio-nacional/historico-acao-grio-nacional/

“GRIÔ APRENDIZ é um (a) aprendiz que possui identificação afetivo e cultural com os/as griôs, mestres e mestras de tradição oral, e que possui uma linguagem e pedagogia para mediação do diálogo entre o saberes, fazeres e práticas pedagógicas de tradição oral e os conteúdos e práticas pedagógicas da educação.”

http://www.acaogrio.org.br/acao-grio-nacional/

 

Anúncios